Sobre nós

     O GEDE (Grupo de Expressão Dramática de Escapães), nasceu a 10 de Outubro de 1992.

     E como tudo o que nasce tem um período de gestação, o GEDE não foi exceção, e sob o comando da professora Rosa Mortágua, um grupo de amigos com uma vontade enorme de fazer teatro, resolveu dar asas a um projeto da professora Conceição Henriques e transportar para os palcos toda a sua energia própria da juventude.

     Fruto dessa energia o GEDE levou a palco a sua 1ª peça “Venha ver Escapães passar” a 10 de Outubro de 1992. Esta primeira peça foi um sucesso e caracterizou-se por uma forte crítica social à própria terra, e foi o início de um percurso que chega até aos dias de hoje.

     E porque a irreverencia caracteriza a forma de estar do grupo, o GEDE desde o primeiro dia, tem levado ao palco peças com carácter interventivo, tais como:

            - Venha ver Escapães passar

            - Jantar de Natal

            - Pais, filhos e outros parecidos

            - Auto das terras de Santa Maria

            - Noite da má-língua

            - Eça de Queiroz faz fogo cruzado

            - Estará ele mesmo morto

            - Confissões Íntimas

            - António Simões o bem-amado

            - O Atrevido

            - A Partilha

            - Auto da BANCA do Inferno

            - Adão sem Eva

            - REQUIEM PARA CARNE

            - HOMENS MULHERES venha o diabo e escolha

            - Jubileu e Romieta

   Em 2015 o GEDE participou com dois atores (Ricardo Silva e Pedro Santos) no Filme "Amor Impossivel" do realizador António Pedro Vasconcelos. 

    O GEDE colaborou com a Associação Profissional de Médicos Dentistas (A.P.M.D.) com a peça “ Branca de neve e os 7 dentões”, no programa “O médico dentista é teu amigo”. Colaborou ainda com o grupo de teatro Art’Imagem do Porto.

     Outro grande momento foi a comemoração dos 25 anos da Revolução dos cravos, com a peça “Na minha terra havia uma palavra proibida”.

     A Recriação do massacre dos Quintados (Invasões Francesas) em Arrifana foi outro dos grandes momentos do GEDE assim como a RECRIAÇÃO HISTÓRICA DO CENTENÁRIO DA REPUBLICA EM 2010 (video). Estas iniciativas foram organizadas pela Câmara Municipal de Santa Maria da Feira e coordenadas pelo GEDE.

     É de destacar ainda, várias participações nas edições da Viagem Medieval de Santa Maria da Feira.

     O GEDE foi o primeiro grupo de outro concelho, a participar no Festival de Teatro de São João da Madeira e conta já com oito participações consecutivas com as peças “António Simões o bem-amado”, “O Atrevido”, “A Partilha”, "Auto da BANCA do Inferno", "Adão sem Eva", "REQUIEM PARA CARNE", "HOMENS MULHERES venha o diabo e escolha" e "Jubileu e Romieta". Respetivamente da IV à XI edições deste festival.

    Atualmente o GEDE tem em cena "HOMENS MULHERES venha o diabo e escolha" e "Jubileu e Romieta".

     Alguns dos textos das peças levam o cunho do grupo, ou porque foram escritos por um dos elementos, ou porque foram adaptadas para se aproximarem da realidade atual e local.

      Muitos foram os atores que já passaram pelo GEDE, mantendo-se atualmente com cerca de 17 jovens.

      Casados e já com filhos, existem elementos no grupo desde 1992.

    “Escapães merece-te, porque tu és o seu riso franco e a sua tristeza magoada. És a sua verdade, a sua franqueza, a sua falsidade, a sua inveja e tudo representarás á “boca de cena”. - In O Escapanenense por Maria Rosa Mortágua.